sábado, 13 de novembro de 2010

Testemunhos de um bonecreiro


Então foi assim que tudo aconteceu. Estava eu a chegar a Ílhavo para fazer 'O Barbeiro', e um senhor vendo-me com uma mala velha na mão e um tambor na outra pergnta:
- Então que banda é que aí vem amigo?
E respondi eu:
- Não é banda. Esta tarola é para chamar o povo para um espectáculo de Robertos.
- Epa! Não me diga? Quero ver isso. Sabe que a gente aqui dantes via muito 'Os Carolinos' neste mesmo sítio. Aqui era o mercado e o homem montava a barraca e aqui os fazia.
- Que nome disse?
- 'Carolinos', também chamava-mos 'Robertos' mas o costume era chamar 'Carolinos'. Até me lembro do fantocheiro fazer uma grande paródia com um barbeiro e usar mesmo um balde com espuma e um pincel de cal.
O Barbeiro dava com a trincha no outro boneco e enchia-o de espuma. Era uma risota. E depois tinha uma navalha e o outro estava sempre a dizer que a navalha parecia uma charrua. Bons tempos. ...
E ali ficamos uns 30 minutos a tertuliar de lágrima no olho; tanta nostalgia e consolo do homem que ele até se ofereceu para ser meu ajudante.
Passados uns instantes estava eu a montar a barraca e pergunta uma senhora:
- Então quando começam os 'Carolinos'?
Resultado, depois de há uns meses eu ter testemunhado alguém ter chamado 'Artur' a um dos meus 'Robertos', hoje encontrei mais uma variante chamada 'Carolinos'.
Podem-me chamar tonto, mas existem pessoas que buscam um resultado total num desses jogos semanais, mas eu não. Só peço a Deus saúde e força para fazer os 'Robertos' até velhinho.

Este episódio passou-se hoje, dia 13 de Novembro numa feira de costumes em Ílhavo.
Rui Sousa

Sem comentários:

Enviar um comentário