segunda-feira, 8 de abril de 2013

'DE SE TIRAR O CHAPÉU'



Vários chapéus dão origem a situações diversas de teatro de animação.
O chapéu, a sua cor, o que estará lá dentro ou o que acontecerá com este?
São questões colocadas pelo público e pelo próprio manipulador.
Uma sucessão de cenas, tendo sempre como base o chapéu, mas diferentes na maneira de abordagem no uso do objecto.
O focalizar no objecto, o próprio chapéu do manipulador, as relações entre o manipulador e as marionetas, o chapéu como apoio cénico da marioneta, e o chapéu que se transforma em marioneta.
Este espectáculo é um desfilar de cenas ternas e sentidas, com um pouco de humor à mistura.
Nele podemos ver representado:
- um romance de dois pássaros que se juntam num ninho e procriam;
- um dia de pescaria de um homem vulgar que no rio encontrou a magia da vida;
- um desvendar de truques com chapéus que dá origem a uma quinta recheada de animais e aventuras;
- e a cena das nossas vidas, na qual um homem planta uma semente de carinho e colhe um canteiro de amor.

------------------------
Ficha Artística:
De Se Tirar o Chapéu: um original das ‘Marionetas da Feira’ · Encenação, Construção das Marionetas, Marionetista e Pintura das Marionetas: Rui Sousa · Estruturas Cénicas: Alberto Castelo e Rui Sousa.

Ficha Técnica:
Técnica: várias técnicas de manipulação ∙ Duração: 45 minutos ∙ Altura: 3m ∙ Profundidade: 3m ∙ Largura: 4m ∙ Montagem: 01h00 ∙ Desmontagem: 00h45 ∙ Espaço de apoio: 1 camarim ∙ Classificação: maiores de 4 anos ∙ Público-alvo: Familiar
------------------------