terça-feira, 25 de novembro de 2014

TOURADA À PORTUGUESA - TEATRO DOM ROBERTO


TEATRO D. ROBERTO
das Marionetas da Feira
 

”TOURADA À PORTUGUESA"
e
"O BARBEIRO"


A Tourada é nada mais que uma sucessão de cenas ligadas à tradição tauromáquica. O bandarilheiro, os forcados, o toureiro a cavalo e o tourinho, travam-se em cenas de pura comédia, onde o touro leva sempre a melhor. Todos os personagens foram construídos e desenvolvidos seguindo a tradição da confecção dos personagens do Teatro D.Roberto.

No caso da nossa companhia temos aspectos que diferenciam as outras companhias e bonecreiros, por exemplo, o facto de os nossos forcados usarem gravatas pretas em sinal de luto, uma das marionetas ser o Ricardo Chibanga (o primeiro toureiro africano), o facto de termos também o cavaleiro (sendo este de vara), usarmos uma bandeira branca para tréguas entre faienas... enfim... cada um usa a sua artilharia.

“O Barbeiro” é uma das histórias desta vertente do teatro de marionetas tradicional português. D. Roberto, o herói popular, vai ao barbeiro no dia do seu casamento para que este lhe faça a barba. Em reacção ao montante a pagar, visto ser caro, D. Roberto protesta e recusa-se a pagar, resultando desta uma “pancadaria” sem fim onde todos os personagens são vencidos pelo herói. O barbeiro, o polícia, o padre, a morte e até mesmo o diabo contracenam com o nosso herói em cenas de humor e de justiça popular.

O Teatro de Robertos representa, seguramente, uma das tradições mais antigas das artes cénicas, não só na sua vertente portuguesa e europeia, mas também nos heróis populares do oriente. De facto, a origem desta forma de arte popular de representação remonta, na tradição europeia à Commedia dell'Arte italiana do século XVI e não parece ser improvável que as tradições orientais tenham tido, de alguma forma, influência na evolução deste tipo tradicional de representação.
É durante o século seguinte que a deambulação de artistas, principalmente franceses e italianos, proporciona uma miscigenação neste tipo de teatro, estando a sua evolução intimamente relacionada com as especificidades culturais de cada país. Em todo o caso, traços constantes atravessam todas as tradições europeias de heróis populares: o carácter subversivo/burlesco dos textos e representações, a utilização de palhetas que emitem sons estridentes (simultaneamente ideais para captar a atenção do público bem como para realçar a sincronização gesto/som, tão importante na criação de uma aparência de "vida" nos pequenos bonecos de luva) e, por fim, a invencibilidade dos heróis, capazes até de vencer o pior dos inimigos - a morte. Contudo, interessa realçar a peculiaridade da ramificação portuguesa, visto todas as personagens envolvidas possuírem " voz de palheta".
Em Portugal, o herói popular chega aos nossos dias com o nome de D. Roberto, apesar de, no século XVIII, várias serem as designações para este teatro de fantoches de luva. A prevalência deste nome está, por ventura, ligado a uma comédia de cordel com grande repercussão, intitulada "Roberto do Diabo" ou a um conhecido empresário de teatro de fantoches, Roberto Xavier de Matos.

domingo, 26 de outubro de 2014

A JIGSAW - SHOWCASE na sede das Marionetas da Feira

Entrada Gratuita - Sujeito a Reserva

As Marionetas da Feira e a Jigsaw vão levar a cabo uma iniciativa de conteúdos transversais a ambos, no edifício da antiga EB1 da Proselha, em Mosteirô - Santa Maria da Feira, no dia 28 de Outubro pelas 18h30.
Assim, vimos por este meio convidá-los a participar na apresentação dos conteúdos do espectáculo em parceria por ambas as entidades artísticas, precedido de um showcase musical de a Jigsaw, com o seu mais recente álbum ‘No True Magic’.


Devido ao limite da lotação do espaço, agradecemos confirmação da sua presença para o seguinte email: ajigsawmusic@gmail.com


MARIONETAS DA FEIRA no facebook
A JIGSAW no facebook


quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

OFICINAS DIVERTIDAS (Construção de Marionetas)



“PASSAROLAS”


As Passarolas, ‘pássaros-marionetas’ de papel, são de fácil construção e manipulação.
Depois de construídas, pais e filhos brincam e viajam com as Passarolas num universo de música e comédia.
Nesta, como noutras oficinas que desenvolvemos, evitamos materiais que sujem, garantindo sempre uma oficina limpa.
Vem descobrir o mundo das Passarolas.
Nunca foi tão fácil construir uma marioneta!


“SILHUETAS”


Propomos nesta Oficina a construção de personagens clássicas da Comedia Dell'Arte Italiana e da época Victorina, onde em cartão recortado serão montadas as figuras do Arlequim, do Bobo, entre outros.
Estes bonecos articulados permitem um fácil manuseamento quer por miúdos ou graúdos e que no final cada formando poderá levar consigo, como simples recordação ou como elemento que sirva para recriar, inventar ou reinventar as histórias criadas a partir desta oficina.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

'O Barbeiro' e 'Tourada à Portuguesa' - TEATRO DOM ROBERTO

Seguindo a tradição de uma quase extinta arte de representação em Portugal, Rui Sousa reproduz o Teatro D. Roberto.
As fantochadas presentes nestas representações são um legado vivo, que passam de bonecreiro para bonecreiro, a fim de prevalecer uma das mais antigas artes cénicas portuguesas, que a Companhia de Teatro ‘Marionetas da Feira’ leva agora até si.

“O Barbeiro” é uma das histórias desta vertente do teatro de marionetas tradicional português. D. Roberto, o herói popular, vai ao barbeiro no dia do seu casamento para que este lhe faça a barba. Em reacção ao montante a pagar, visto ser caro, D. Roberto protesta e recusa-se a pagar, resultando desta uma “pancadaria” sem fim onde todos os personagens são vencidos pelo herói. O barbeiro, o polícia, o padre, a morte e até mesmo o diabo contracenam com o nosso herói em cenas de humor e de justiça popular.

“Tourada à Portuguesa” é nada mais que uma sucessão de cenas ligadas à tradição tauromáquica. O bandarilheiro, os forcados, o toureiro a cavalo e o tourinho, travam-se em cenas de pura comédia, onde o touro leva sempre a melhor.

------------------------
Ficha Artística
Original: popular português adaptado por Rui Sousa · Construção das Marionetas, Marionetista, Escultura e Pintura das Marionetas: Rui Sousa · Estruturas Cénicas: Lino Sousa e Rui Sousa · Figurinos: Telma Pedroso

Ficha Técnica
Técnica: fantoches · Duração: O Barbeiro: 25 minutos / O Barbeiro + A Tourada à Portuguesa: 40 minutos · Altura: 2m · Profundidade: 2m · Largura: 2m · Montagem: 00h30 · Desmontagem: 00h30 · Classificação: maiores de 4 anos ·  Público-alvo: Familiar
------------------------












Animação circulante

Personagens circulantes em interacção com público fixo e flutuantes para eventos em pequenos e grandes espaços. Marionetas de fios acompa...